sexta-feira, 8 de novembro de 2019

ESSA PIADA É DO CA(*)!


Imagino que existam vários motivos para erros de português que vejo no Facebook. Erros de digitação, distração, falta de tempo ou paciência para revisar ou até mesmo analfabetismo funcional podem ser alguns desses motivos. Estou dizendo isso, pois hoje, enquanto dirigia, tomei o maior susto com uma palavra escrita em uma ambulância que passou ao lado. Olhando com mais atenção, percebi que a palavra era o nome de um município de que nunca tinha ouvido falar. E o nome da cidade é Caraí, palavra oxítona terminada em “i” com acento agudo.

Como bem sabem os leitores desta bagaça (só gente culta!), as palavras oxítonas terminadas em i são acentuadas se estiverem precedidas de outras vogais (como no caso presente). Já em casa, pesquisando na internet, descobri que Caraí é um município com 22.000 habitantes, localizado no norte de Minas.

Como meu sobrenome é uma tristeza só, uma afirmação obscena e vulgar, já viu que eu tenho problema com nomes próprios (e até impróprios), não é mesmo? Por isso, fiquei pensando que os carros oficiais e as placas indicativas do município devem, precisam estar sempre bem conservados e com pintura nova. Porque, se acontecer de o acento agudo do “i” ficar danificado, algum mal entendido sempre poderá ocorrer. Por exemplo, se comentarem alguma coisa sobre a tal ambulância ou até mesmo sobre pessoa nascida no município, algum gaiato sempre poderá dizer: “Ela é do Carai”. Ou então, no caso de alguém comentar com um amigo o motivo de não estar mais frequentando o Mercado Central de BH para comer fígado com jiló. O sumido poderia responder "Comprei um imóvel no interior e mudei para lá. Estou morando lá na casa do Carai". Não soaria bem, não mesmo.


P.S. Lamentavelmente, essa cidade de cuja existência eu nem sonhava foi notícia nos jornais de BH depois que dois adolescentes entraram na escola local e atiraram em três alunos. Ninguém morreu, mas foi uma triste coincidência, Fico pensando que a tal ambulância que vi talvez estivesse trazendo os adolescentes para internação em hospital da capital. Como a piada surgiu antes da notícia, resolvi manter o post.


4 comentários:

  1. E é bom esse fígado com jiló do mercadão de BH?
    Eu, quando falo aqui em casa, para a patroa, que tô morrendo de vontade de comer um jilozinho, ela quase que me come o fígado.
    Pããããããta.... Ou, melhor, caraiiiii.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, estou mais vermelho agora que camisa do PT, que carro de fórmula 1 da Ferrari, que..., enfim, super constrangido em dizer que não como jiló nem fodendo. Mas antes que o mal se espalhe, preciso dizer que estou me referindo ao fruto do jiloeiro, planta herbácea do grupo de cultivares de Solanum aethiopicum. E “nem fodendo” é uma expressão civilizada que tem o mesmo significado de “nem pensar!” ou “de jeito nenhum!” (desfazer esse nó deu trabalho!). Fígado acebolado é muito bom, mas creio que as patroas em geral são parecidas.

      Excluir
  2. o carai nem sempre é ruim

    “Ela é do Carai” - dá vontade de conhecer a moça

    "casa do Carai" - melhor nem conhecer o local

    abs!

    ResponderExcluir