quarta-feira, 22 de agosto de 2018

CAPISCE?

Toda vez que um novo papa precisa ser escolhido, a imprensa começa a especular quais são os “papabile”, quais são os cardeais com maior probabilidade de ser eleitos. O único critério que precisa ser observado é que os favoritos não podem ter mais de oitenta anos. Pode ser o cara mais indicado, com mais qualidades, etc., pode ser até o J Cristo, mas se tiver mais de oitenta anos, acabou, “è finita”.

Essa situação me ocorreu ao pensar nas pesquisas de intenção de voto para os presidenciáveis de 2018. Para mim, se um dos candidatos está inelegível, não faz o menor sentido incluí-lo em pesquisas. Seria o mesmo que incluir na lista dos “papabile” um cardeal com noventa anos. Não tem sentido, “capisce”?

Imagino que os “especialistas” em Direito Constitucional (especialização feita em mesa de botequim) dirão que “de acordo com o inciso MCML do artigo tal da Constituição, a inelegibilidade de alguém dependerá da interpretação do STE bla bla bla”. Um conhecido meu veio com essa conversa. Talvez os puristas e os juristas tenham razão, mas essa zona nunca poderia existir.

Duvido que exista algum país no mundo civilizado que tenha uma legislação tão manca, tão sujeita a interpretações conflitantes. O Brasil já foi chamado de “república de bananas" e, para mim, voltou a ser. Só que antes a expressão ironizava o país. Agora, para mim, banana é sinônimo de idiota. Ou seja, somos um país de idiotas. Pior, somos um país de idiotas perplexos. E o país virou um puteiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário